Primeiro as pessoas, depois a tecnologia: a inteligência artificial deve ser construída com base em ética

 |   Por Fabio Scopeta, Diretor de Transformação Digital e Inteligência Artificial (IA) da Microsoft América Latina

A Inteligência Artificial (IA) já está impactando a nossa sociedade, tanto na forma de consumir notícias e planejar o nosso dia, como na maneira de comprar e interagir com os nossos familiares e amigos. Mas, em duas décadas como será o nosso mundo? E como podemos garantir que os sistemas de inteligência artificial sejam projetados e usados ​​de maneira responsável?

Estamos nos estágios iniciais de compreensão do que as soluções de Inteligência Artificial serão capazes. O que sabemos hoje é que, além de afetar nossas vidas pessoais, a IA permitirá avanços até então impensáveis. Entretanto, a inteligência artificial é tão boa quanto a informação da qual ela aprende. Saber usar inteligência artificial para resolver um problema é tão importante quanto saber onde (e por que) você não deve usá-lo, o que só é alcançado depois de muitos anos de experimentação.

Como um profissional que começou a trabalhar com IA quando a indústria de tecnologia ainda estava definindo como criar as primeiras soluções, estou animado com todas as oportunidades que IA proporciona às pessoas e sua capacidade para nos ajudar a realizar mais. Mas, também reconheço que é importante construir uma base ética para orientar o desenvolvimento e uso interdisciplinar. A medida que esta tecnologia se torna mais sofisticada e começa a jogar um papel mais relevante na sociedade, é imperativo que as empresas adotem princípios claros para guiar seu uso, evitando assim qualquer imparcialidade.

Na Microsoft, por exemplo, temos um comitê consultivo para nos ajudar a garantir que os nossos produtos estão em conformidade com os princípios de equidade, confiabilidade,  privacidade e segurança, além de inclusão e transparência. Esses princípios ajudam a garantir que as ferramentas e serviços de inteligência artificial da Microsoft permitam que a humanidade aumente suas capacidades.

A Microsoft é também co-fundadora da “Partnership for AI”, uma associação criada para fornecer uma plataforma aberta e inclusiva, fomentando a discussão e engajamento em Inteligência Artificial. Acreditamos que IA deve maximizar a eficiência sem destruir a dignidade, além de proteger contra o preconceito.

Embora eu acredite que a Inteligência Artificial ajudará a resolver grandes problemas sociais, devemos olhar para o futuro com uma visão crítica. Haverá desafios e oportunidades, e é por isso que é fundamental para a nossa sociedade que sistemas de inteligência artificial se tornem mais convencionais, que desenvolvedores trabalhem em estreita colaboração com o governo, universidades, empresas, sociedade civil e outras partes interessadas para chegar a um consenso sobre quais valores devem guiar o desenvolvimento e uso da IA.

Sou um apaixonado por como a inteligência artificial e a nuvem estão transformando nosso mundo. Já vemos seus benefícios em soluções como Microsoft Translator, Seeing AI, Cortana, Bing e Office 365, apenas para citar alguns. Acredito que estamos apenas começando a vislumbrar as possibilidades do que seres humanos e a inteligência artificial podem alcançar juntos. Mas nós, como sociedade, precisamos agir com um senso de responsabilidade compartilhada porque a IA não será desenvolvida somente pelo setor de tecnologia: a inteligência artificial de amanhã depende de todos nós e da base ética que criamos ao seu redor!

Tags: , , , , , , , , , , , , , ,