“Como bom latino, a família é grande parte da minha paixão e motivação”. – Wilson Garone

Feb 23, 2018   |   Equipo Microsoft Latinx

Conversamos com o brasileiro Wilson Garone, vice-presidente Corporativo e Diretor Financeiro de Vendas Global e Negócios Comerciais da Microsoft, para saber mais sobre sua trajetória de sucesso na companhia.

 Comente sobre sua trajetória na Microsoft.

Wilson: Minha carreira na Microsoft começou em 1997 quando ingressei na filial brasileira, um pequeno grupo de 70 pessoas e aproximadamente $100 milhões em receita. Depois de 4 anos liderando a equipe financeira por lá, me mudei para Fort Lauderdale como Controller Regional para América Latina e, em seguida, meu chefe me convidou para integrar o time Corporativo em Washington.

Estes anos tem sido absolutamente incríveis e gratificantes, realmente segui minha paixão, aprendi com os melhores e ajudei outros a crescerem pelo caminho.

Qual a lição mais desafiadora desse período?

Wilson: É difícil escolher, sinto que aprendo algo novo todos os días. A empresa se transformou muito desde que começei e tive a oportunidade de aprender constantemente. Também tive a sorte de contar com bons gerentes e mentores ao longo do caminho.

Por último, aprendi com o meu time, as melhores ideias implementadas na organização não vieram de mim, mas da minha equipe. Para ter sucesso, uma companhia precisa escutar as opiniões de seus empregados, Esta, quem sabe, seja a lição mais valiosa que tenha aprendido. 

Quais são suas paixões, o que te motiva?

Wilson: Como bom Latino, a família representa grande parte da minha paixão e motivação. Ver meus filhos crescerem e se transformarem em adultos tem sido muito gratificante. O futebol é outra paixão, o que não deve ser surpreesa sabendo de onde venho.

Mas, no dia a dia, o que mais me entusiasma são as pessoas de diferentes nacionalidades, idiomas e culturas. A Microsoft, e mais específicamente minha posição, oferece essa oportunidade e isso me fascina.

Você é o executivo patrocinador do programa HOLA*, o Grupo de Recursos para Funcionários Latinos. Por que você se envolveu e o que esperar alcançar com essa iniciativa?

Wilson: Sempre busquei apoiar minha comunidade de todas as formas possíveis  Mas, honestamente, nunca imaginei ter a chance de liderar o HOLA. Já se passaram quase 3 anos desde que assumi essa posição e tem sido genial ver o progresso dessa comunidade, com enfoque especial ao que podemos controlar e principalmente nos tornando mais visíveis  para a comunidade Latina, dentro e fora da Microsoft.

*HOLA é um grupo para funcionarios que oferece oportunidades de desenvolvimento profissional e networking e aliados da comunidade latina/hispanica.

O que a indústria de tecnología pode fazer melhor quando se trata de atrair talento Latino?

Wilson: A comunidade Latina nos Estados Unidos representa aproximadamente 18% da população total do país. As empresa que escolhem não serem relevantes para esse segmento estão excluindo automaticamente um número significativo de potenciais clientes.

A relevância se dá em todos os aspectos da indústria. Começa por proporcionar acesso e exposição a ferramentas tecnológicas, capacitação e programas de treinamento para jovens. Segue com o recrutamento efetivo e a representação da força de trabalho da indústria, com o desenvolvimento de produtos e serviços que sejam relevantes para a comunidade, além, é claro, da forma como comercializamos esses produtos e serviços.

Se pudesse dar 3 conselhos para Latinos que queiram vencer na indústria de tecnología, o que você diría?

Wilson: Tenho alguns principios fundamentais que apliquei ao longo da minha carreira.

  1. Seja sincero com você mesmo e não tente ser alguém que você não é. O benefício da diversidade acontece quando agimos de acordo com quem somos e no que acreditamos, dessa maneira a empresa, a indústria e toda a sociedade podem beneficiar-se das descobertas, avanços e conhecimento.
  2. Seja curioso. A curiosidade é uma combinacão de inteligência, persitência e fome por novidades. Sempre existe a oportunidade de aprender algo novo todos os dias. Faça perguntas e aprenda a escutar ativamente. Aceite o novo e o inesperado.
  3. Foco no impacto não na atividade. Quando exercemos nossa profissão com integridade, compaixão e propósito estamos criando impacto.

 

Tags: ,